grafico-private-equity

Private Equity: conheça quais são suas características

Sabemos que a atuação de investidores financeiros como financiadores de empresas está crescendo bastante no Brasil. E uma das modalidades de investimento, ainda pouco explorada no país, é o Private Equity.

É através do Private Equity que empresas aportam, por meio de fundos de investimento especificamente criados para esse fim, capital em outras empresa. Essas financiadas, geralmente, são companhias estruturadas e com operação consolidada, com potencial de crescimento, de modo que utilizam o valor recebido como uma alavancagem para os  negócios.

A empresa que investe por meio de private equity, na maioria das vezes, não entra no negócio apenas com capital, através da compra de uma parte da companhia. O investidor também agrega sua expertise administrativa, auxiliando a investida na gestão e no aperfeiçoamento de métodos e de processos.

No post de hoje o Manucci Advogados vai falar um pouco mais sobre o Private Equity e suas características. Por isso, convidamos você para continuar a leitura do texto e se aprofundar um pouco mais neste assunto.

O que significa o termo Private Equity?

brainstorm-private-equity

O termo Private Equity (PE) é uma expressão em inglês que pode ser traduzida para “Ativo Privado”. Como falamos acima, é uma modalidade de fundo de investimento que consiste na compra de ações de empresas que estejam em crescimento e que possuam ótimos rendimentos financeiros.

Os primeiros Fundos de Private Equity surgiram nos Estados Unidos, durante a década de 1980. A princípio, esse modelo de financiamento era uma opção para pequenas e médias empresas.

Atualmente, as empresas que investem em outras empresas através de fundos de PE participam ativamente da sua gestão e administração, além de adicionar capital para a companhia.

Ou seja, podemos dizer que o objetivo das empresas que investem através de Private Equity é potencializar e agilizar o crescimento das companhias promissoras, fazendo-as entrar na lista de empresas disponíveis na Bolsa de Valores para compra e venda de ações no futuro.

Feito isso, a empresa que investiu em PE, geralmente, vende a sua parte das ações para outros investidores por preços bem mais elevados.

Qual a diferença entre Private Equity e Venture Capital?

Agora vamos falar um pouquinho sobre a diferença do Private Equity e outras modalidades de investimento. Neste caso, o Venture Capital. Isso porque elas costumam causar confusão entre os menos familiarizados com o mercado financeiro, pois ambas se encaixam no grande grupo de “investimentos em participações privadas”, mas têm peculiaridades que precisam ser compreendidas.

O Venture Capital acaba sendo considerado um investimento de alto risco, pois costuma ser feito em empresas iniciantes, como as famosas startups. O objetivo deste aporte é financiar os primeiros passos da companhia e, em troca, o investidor ganha uma participação acionária no negócio, que deve ser visto como de alto potencial, embora ainda não tenha lucros.

Já no Private Equity, como falamos ao longo do post, a empresa que recebe o investimento precisa estar num estágio superior ao de uma startup, ou seja, já gerando lucros. Vale destacar ainda que o objetivo é promover a sua expansão e não os primeiros passos. Neste caso, o aporte também se dá em troca de participação acionária.

De modo geral podemos dizer que a sociedade com um fundo de investimento, tanto de Private Equity quanto de Venture Capital, traz muito mais benefícios ao negócio do que apenas capital para o seu crescimento. Alguns deles são:

  • Agregar recursos e conhecimentos visando o crescimento acelerado e a sustentabilidade da empresa;
  • Profissionalização;
  • Aplicação de práticas de governança corporativa para aprimorar a qualidade da gestão
  • Aumentar a credibilidade;
  • Proporcionar sustentabilidade futura do negócio;
  • Tornar a empresa mais competitiva e pronta para enfrentar o mercado global.

O que significa Equity no mercado financeiro?

O Equity de uma empresa nada mais é do que a participação societária dela, que pode ser representada por valores mobiliários como quotas, ações ou outros títulos. Podemos dizer que, na prática, Equity é posse.

Normalmente, a porcentagem da empresa que você possui também é a porcentagem dos lucros que você tem direito. Um dos grandes incentivos para possuir equity de uma empresa é o potencial retorno financeiro.

Os investimentos de equity são considerados investimentos de renda variável, pois o valor da sua participação em qualquer empresa é diretamente vinculado ao desempenho atual e futuro de tal empresa. 

Esse tipo de aporte (equity) é muito utilizado por investidores para tentar atingir retornos muito acima do que é possível através de investimentos de renda fixa. Isso porque quando você tem equity em uma empresa, você participa de todos os benefícios financeiros da empresa proporcionalmente.

O que é uma empresa de Venture Capital?

reuniao-private-equity

Uma empresa de Venture Capital é aquela que investe em startups. Como o risco desse investimento é moderado, há muita cobrança para que os resultados sejam alcançados.

Muitos são os benefícios do Venture Capital para as empresas. Entre eles podemos citar:

  1. Apoio na gestão da empresa: que pode ser através de mentorias dos sócios dos fundos para os empreendedores e colaboradores da empresa.
  2. Investimento financeiro: esse é o principal interesse das empresas, para que consigam crescer e se solidificar.
  3. Alcance de resultados: como o fundo de Venture Capital cobra a definição de metas e o cumprimento dos objetivos, a tendência é que a entrega seja muito maior.
  4. Apoio administrativo e fiscal: a criação de um conselho para fiscalizar a empresa, exigência da entrada de um fundo de Venture Capital no quadro societário, ajuda na tomada de decisões importantes.
  5. Crescimento acelerado: é através do Venture Capital que as pequenas e médias empresas possuem oportunidade para se transformarem em grandes companhias, acelerando o crescimento e a lucratividade.

Como preparar o seu negócio para um Private Equity?

calculadora-private-equity

Antes de procurar por uma injeção de capital é importante levar em consideração alguns pontos. O mais relevante deles é ter informações sobre o potencial de crescimento da sua empresa e também a sua lucratividade.

Entretanto, para isso é essencial manter dados organizados e sistematizados sobre: Demonstrativo de Resultado de Exercícios (DRE), Balanço Patrimonial, Fluxo de Caixa, Relatório de gastos, custos e despesas e Indicadores de desempenho.

Outro ponto importante é saber o quanto vale sua empresa. E para isso indicamos o método Valuation, que estima o valor de uma empresa de forma sistematizada, usando um modelo quantitativo. 

Sabemos que ingressar no mercado de capitais e tomar decisões colegiadas com novos sócios não é uma tarefa fácil para qualquer empreendedor. Por isso é preciso ter um plano de negócios muito claro. Separamos abaixo algumas dicas de como se preparar para um Private Equity. Confira!

Primeiro passo: Avaliar a necessidade de investidores

Antes de tudo é preciso avaliar a real necessidade de investimento, uma vez que em alguns casos, principalmente nas fases iniciais de um empreendimento, buscar esse tipo de recurso acaba prejudicando o desenvolvimento da empresa. Falamos isso pois além de pressão por resultados, o que acaba afetando o clima organizacional, os lucros serão repartidos.

Sendo assim, antes de procurar um investidor é importante averiguar se os projetos da empresa podem trazer grandes retornos a serem repartidos. Se não for o caso, o foco deve ser na conquista de clientes para tornar o negócio sustentável.

Segundo passo: Elaborar um plano de negócios

Quando falamos em elaborar um plano de negócios significa definir todos os objetivos empresariais, conhecer o potencial de crescimento da empresa, bem como entender tudo sobre o mercado explorado, desde a concorrência, até uma projeção de lucros para os próximos anos.

Essa é uma fase essencial não apenas para quem busca investidores, mas também para conseguir qualquer tipo de financiamento em instituições bancárias. Com esse plano em mãos o empreendedor consegue preparar seu discurso para atrair a atenção dos investidores.

Terceiro passo: Regularizar a empresa (Due Diligence)

Antes de oferecer a empresa para um investidor é essencial que o empreendedor procure a contabilidade para se certificar de que tudo está regularizado, evitando que erros ou fraudes sejam discriminados durante o processo.

A auditoria contábil, bem como o cumprimento das obrigações trabalhistas, é uma forma de o investidor se proteger de  possíveis problemas judiciais, ou qualquer outra questão que possa afetar negativamente a lucratividade da empresa.

Por isso é tão importante que a empresa esteja em dia com suas obrigações, caso esteja em busca de um investidor.

Quarto passo: Procurar um investidor

Não é só o investidor que deve analisar o perfil da empresa na hora de aplicar recursos. O empreendedor também deve avaliar o perfil dos interessados na sua empresa para escolher aquele com que possua afinidade com o seu tipo de negócios. Esta avaliação pode facilitar a comunicação e também agilizar o desenvolvimento do projeto.

Quinto passo: Valoração do negócio

A última etapa, mas não menos importante é a de avaliar qual será o percentual da empresa, ou do projeto específico que esteja sendo desenvolvido, que será destinado ao investidor em troca do aporte de capital.

Para isso, é fundamental contar com uma boa consultoria, principalmente da área contábil, para avaliar o patrimônio da empresa e realizar projeções de vendas.

É importante saber que a valoração costuma variar de acordo com a qualidade da equipe, o potencial do projeto e o posicionamento da empresa no mercado. Sendo assim podemos concluir que quanto mais segurança for passada para o investidor, menor será o percentual que o empreendedor terá que abrir mão para conseguir os recursos necessários.

Como sua empresa pode se beneficiar com o Private Equity?

Muitas são as vantagens para um empresa que recebe investimentos provenientes de Investidores ou Fundos de Private Equity.

Como já falamos durante o texto, os ganhos para o empreendedor vão além do dinheiro, o que acelera o processo de crescimento e de valorização da empresa. Fato é que a presença de um novo sócio mais experiente em negócios, novas visões e um know-how podem ser grandes agregadores de valores para o empreendedor e, consequentemente, para o seu negócio.

Podemos citar entre os principais benefícios do Private Equity:

  • Novos conhecimentos, recursos e treinamentos visando o crescimento da empresa;
  • Profissionalização e aprimoramento dos colaboradores;
  • Aumento da credibilidade da empresa e de sua imagem institucional;
  • Qualificação da empresa, fazendo com que ela se torne mais competitiva no mercado;
  • Gestão de melhor qualidade, uma vez que os investidores poderão fazer parte do quadro administrativo.

Quais profissionais podem ajudar?

analise-tablet

Sabemos que o processo de Private Equity leva um certo tempo e requer alguns passos importantes. Sendo assim, é muito importante contar com a ajuda de profissionais experientes no ramo.

Para que a empresa consiga elaborar um plano de negócios e realizar a Due Diligence, é necessário um profissional multidisciplinar. Ele precisa ter conhecimento em contabilidade e finanças, bem como dos aspectos jurídicos.

Na hora de fechar o negócio, nada melhor do que um advogado especialista para avaliar os riscos e retornos, pois ele poderá garantir que o negócio seja feito de forma mais transparente possível. Isso tanto para os fundos de Private Equity quanto para a empresa a qual será destinada o investimento.

Conclusão

Ao longo do texto você pode concluir que Equity é a posse de uma empresa e direito a uma parte dos lucros gerados por ela. Esse tipo de investimento é utilizado pelos investidores para tentar alcançar retornos acima da média com seu portfólio de investimentos.

A empresa que busca investidores precisa estar ciente de que essa tarefa requer, acima de tudo, uma ponderação de interesses. A empresa precisa estar em uma boa fase de amadurecimento em relação ao seu plano de negócios, de modo a apostar todas as fichas no projeto certo.

Por outro lado,  no caso de uma Venture Capital, a startup deve estar com o planejamento bem elaborado para conseguir o aporte, uma vez que esse investimento é considerado de risco.

Entretanto, uma vez que o negócio esteja concluído, tanto no Private Equity quanto no Venture Capital, a empresa obtém vantagens não apenas na questão financeira, mas também em outros aspectos. Dentre eles destacamos novos conhecimentos e recursos visando o seu crescimento, profissionalização e aprimoramento dos colaboradores e aumento da credibilidade da empresa. Por consequência há uma melhoria da sua imagem institucional, maior competitividade no mercado e gestão de melhor qualidade.

E então, você já está se planejando para que a sua empresa consiga investimentos? Lembre-se que são muitos os pontos que devem ser revistos para realizar uma boa apresentação junto aos possíveis investidores e a assessoria jurídica é fundamental.

Avatar

manucciadv